Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia

Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia
Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia
Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia

Rússia e Ucrânia hoje estão em lados opostos de um conflito militar. Mas já foram bastante próximos. Tanto que os boa parte da frota russa de bombardeiros estratégicos supersônicos Tupolev Tu-160 foram fornecidos pelos ucranianos para os russos.

+ Míssil hipersônico da Lockheed Martin completa 1º teste com sucesso
+ Tupolev Tu-4: 1º bombardeiro nuclear da Rússia era cópia de avião da Boeing
+ Veja os países da Otan que ainda utilizam o caça MIG-29

Equivalente soviético ao americano B-1, o Tupolev Tu-160 é um bombardeiro com asas de geometria variável e capaz de voar a velocidades acima de Mach 2 (maior do que a de alguns caças supersônicos). Criado no final dos anos 1980, era praticamente uma novidade quando a União Soviética foi extinta, em 1991.

Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia
Tupolev Tu-160: conheça os bombardeiros que a Ucrânia vendeu para a Rússia

Pois 16 unidades do bombardeiro estavam baseadas em território ucraniano quando a então república soviética declarou a sua independência, assumindo o controle de todo o arsenal da União Soviética em seu território.

Mas os russos queriam esses aviões, dando início a um processo de negociação que durou até o final dos anos 1990. Na ocasião, os ucranianos decidiram ceder oito exemplares do Tupolev Tu-160 para a Rússia, sucateando o restante dos aviões. Em troca, os russos iriam deduzir o valor dos aviões da dívida que a Ucrânia havia contraído com a compra de gás natural.

Atualmente, cerca de 17 exemplares do Tu-160 estão em serviço na Rússia, número que inclui aeronaves novas e aquelas compradas da Ucrânia. E que, ironicamente, já foram utilizadas para atacar cidades ucranianas com mísseis.




  • arrow