Primeira gravação do cérebro humano após a morte

Primeira gravação de cérebro humano revela o que acontece após a morte

Primeira gravação de cérebro humano revela o que acontece após a morte. Foto: Pixabay
Primeira gravação de cérebro humano revela o que acontece após a morte. Foto: Pixabay
Primeira gravação de cérebro humano revela o que acontece após a morte. Foto: Pixabay

Um estudo divulgado na publicação científica Frontiers in Aging Neuroscience trouxe novas informações sobre o que acontece com o cérebro logo após a morte, indicando que as memórias da vida passam “diante dos olhos”.

+ Vídeo: Ciclista escapa da morte após ser atropelado por caminhão
+ Ex-BBB Sol Vega faz desabafo após morte do marido por Covid-19: “Ninguém morre porque quer”
+ Xuxa lamenta morte de pai de Ayrton Senna: ‘vai fazer falta’

O estudo não foi palenjado para medir a atividade do cérebro na hora da morte – foi apenas uma questão de acaso.

Os pesquisadores estavam monitorando as ondas cerebrais de um paciente com epilepsia de 87 anos usando EEG, para observar as convulsões, mas, o paciente de repente teve um ataque cardíaco e morreu.

Assim, os pesquisadores conseguiram registrar 15 minutos de atividade cerebral na hora da morte.

Eles se concentraram nos 30 segundos de quando o coração parou de bater, e detectaram aumento da atividade em tipos de ondas cerebrais conhecidas como oscilações gama.

Estes estão envolvidos em processos como sonho, meditação e recuperação de memória, dando um vislumbre do que uma pessoa pode estar experimentando durante seus momentos finais.

A equipe disse que as observações indicam que o cérebro é capaz de atividade coordenada mesmo depois que o sangue pára de fluir através dele.

Mudanças semelhantes nas ondas gama na época da morte já haviam sido detectadas anteriormente em ratos, mas isso marca a primeira vez que tal atividade foi detectada em humanos.

+ Previsões de Nostradamus: Asteroide e ‘fim de todo o mundo’
+ Existem quatro pessoas nesta ilusão de ótica, tente descobrir
+ Designer cria espelho que só funciona se a pessoa sorrir

É claro que os resultados devem ser tomados com alguma cautela, ressaltou a equipe.

Os dados vêm de apenas um único estudo de caso, e mesmo isso foi em um paciente cujo cérebro tinha sido ferido e estava passando por atividade incomum relacionada à epilepsia.

Os pesquisadores esperam investigar mais em outros casos.




  • arrow