Militares australianos recebem o primeiro drone que pode voar com inteligência artificial | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Militares australianos recebem o primeiro drone que pode voar com inteligência artificial

Militares australianos recebem o primeiro drone que pode voar com inteligência artificial
Militares australianos recebem o primeiro drone que pode voar com inteligência artificial
Militares australianos recebem o primeiro drone que pode voar com inteligência artificial

A Boeing Austrália apresentou nesta terça-feira à Força Aérea do país um protótipo de um drone a jato que eles esperam que um dia voe ao lado de aviões de guerra tripulados, enquanto trazem inteligência artificial para o campo de batalha.

+ Chuva de meteoros do cometa Halley terá atividade máxima nesta terça-feira (5)
+ Tempestade de areia causa colisões em cadeia envolvendo 37 veículos
+ Cachorros estão acostumados com isolamento social, diz especialista
+ General Dynamics UK entrega 400 veículos Foxhound ao Exército Britânico

O Loyal Wingman, tem 11,5 metros de comprimento e 3.218,6 quilômetros de alcance, irá “usar inteligência artificial para voar de forma independente ou em apoio a aeronaves tripuladas, mantendo distância segura entre outras aeronaves, de acordo com o site da Boeing.

Os drones poderão se engajar na guerra eletrônica, além de missões de inteligência, reconhecimento e vigilância e trocar rapidamente dentre esses papéis, de acordo com a Boeing.

A aeronave entregue em Sydney na terça-feira é o primeiro dos três protótipos que a Boeing está produzindo.

É também a primeira aeronave “a ser projetada, projetada e fabricada na Austrália em mais de 50 anos”, afirmou a Boeing em comunicado.

Os drones protegerão as aeronaves de combate mais caras do país, como caças furtivos F-35 e seus pilotos no futuro
Os drones protegerão as aeronaves de combate mais caras do país, como caças furtivos F-35 e seus pilotos no futuro

O primeiro-ministro australiano Scott Morrison disse que os drones protegerão as aeronaves de combate mais caras do país, como caças furtivos F-35 e seus pilotos no futuro, e a produção de drones ajudará com uma crise atual, combatendo os efeitos do coronavírus.

“O programa Loyal Wingman ajudou a apoiar cerca de 100 empregos de alta tecnologia na Austrália. Tais projetos serão críticos para impulsionar o crescimento e apoiar empregos à medida que a economia se recuperar da pandemia de Covid-19”, disse Morrison em comunicado.
O governo australiano diz que investiu cerca de US $ 40 milhões no projeto. O governo australiano chama a parceria Boeing-RAAF de “uma parceria”, mas observou detalhes específicos sobre a propriedade real dos protótipos.

A Boeing diz que o projeto representa seu maior investimento em aeronaves não tripuladas fora dos Estados Unidos, embora não dê números específicos, e o considera tão personalizável para exportação quanto a base de seu “Sistema de Equipe de Força Aérea”.

“Estamos orgulhosos de dar esse importante passo adiante com a Força Aérea Real Australiana e mostrar o potencial de uma equipe não tripulada inteligente para servir como um multiplicador de forças”, disse Kristin Robertson, vice-presidente e gerente geral de Sistemas Autônomos da Boeing Defense, Space and Segurança. “Estamos ansiosos para colocar a aeronave em testes de voo e provar o conceito de equipe não tripulada”.

Espera-se que o protótipo voe pela primeira vez ainda este ano, disseram a Boeing e a RAAF em comunicado.

Podemos programá-lo para aprender, mas ele aprende linearmente, não é emocional e, em muitos aspectos, em um sentido de combate aéreo, é bastante inflexível
Podemos programá-lo para aprender, mas ele aprende linearmente, não é emocional e, em muitos aspectos, em um sentido de combate aéreo, é bastante inflexível

“Podemos programá-lo para aprender, mas ele aprende linearmente, não é emocional e, em muitos aspectos, em um sentido de combate aéreo, é bastante inflexível”, disse o marechal-ar e chefe da RAAF, Leo Davies .

“Quando analisamos a capacidade de um piloto para avaliar a situação, isso traz consigo uma quantidade de emoção e criatividade que nos permite ser ágeis. Precisamos da flexibilidade e agilidade do ser humano combinado com a velocidade de uma máquina. Quando reunimos essas informações, obtivemos um resultado surpreendente”, afirmou Davies.

Veja também:

+ Gil do Vigor faz desabafo de como é ser tratados nos aeroportos dos EUA

+ Carla Perez posa de vestido rosa durante viagem nas Maldivas: ‘perfeita’

+ Descubra as maiores tendências de cozinha que estão bombando em 2021

+ Cozinha afetiva: dicas e inspirações para uma decoração que exalta as memórias

+ A “Moto do Ano 2021” na Alemanha

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Conheça o iate de luxo de Giorgio Armani: ele mesmo projetou e custa R$ 330 milhões

+ Cozinhas coloridas: veja dicas essenciais para apostar em projetos alegres, modernos e joviais

+ Previsões de Nostradamus para 2021: Asteróide e ‘fim de todo o mundo’

+ Bruna Lombardi posta foto nua aos 68 anos

+ Bruna Marquezine posa de biquíni no Copacabana Palace. Confira as fotos!

+ Os 3 signos mais sensitivos do zodíaco

+ Os ‘Sapatos de Satanás’ do rapper Lil Nas X conterão uma gota de sangue humano

+ O bico do seu p… é rosa? Juliana Caetano, responde a fã de maneira ousada






  • arrow