Maior projeto de fusão nuclear do mundo entra na fase final de montagem | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Maior projeto de fusão nuclear do mundo entra na fase final de montagem

Maior projeto de fusão nuclear do mundo entra na fase final. Foto: Iter© EPA/NATIONAL FUSION RESEARCH INSTITUTE

Custando de 20 bilhões de euros (algo entorno de 120 bilhões de reais), começou nesta terça-feira, 28, a primeira fase da construção do maior projeto nuclear do mundo, que tem como objetivo replicar as reações solares para gerar, futuramente, energia em escala comercial. O faturamento do mercado de energia nuclear vai passar de 39.433.032 em 2019 para 40.892.055 em 2020, um crescimento de 3,7%, segundo a consultoria britânica Allied Market Research.

+ Caminhão atinge ciclista, bate e pega fogo na TO-080
+ Vizinho salva criança de 2 anos que caiu da sacada do 3º andar no Paraná
+ Morre o jornalista Rodrigo Rodrigues
+ Garmin confirma ataque mas garante que dados de usuários não vazaram

Quando estiver terminado, o complexo terá a capacidade de produzir o “plasma” superaquecido necessário à produção de energia.

O reator de fusão nuclear está sendo planejado e construído em parceria com Japão, Índia, a União Europeia, os Estados Unidos, a Rússia, a China e a Coreia do Sul, desde 1985 — quando a Rússia ainda era a União Soviética.

Uma parceria inusitada, mas que deu certo. Há 19 anos foi completado o primeiro rascunho do projeto. A planta nuclear começou a ser construída em 2006, em Cadarache, no Sul da França. Agora, em 2020, foi iniciada a construção do reator.

Até ao momento, os reatores nucleares existentes baseavam-se na fissão nuclear, isto é, era a divisão do atómo de um elemento químico que produzia energia. No fim do processo, ficava um resíduo, lixo, radioativo.

Ao contrário, a fusão nuclear funciona pela combinação de dois elementos mais leves para formar outro mais pesado. Um processo que liberta enormes quantidades de energia, gerando um composto estável não radioativo, limpo.

É este o processo de produção de energia que acontece no interior das estrelas.

O Iter vai confinar o plasma aquecido no interior de uma estrutura designada por Tokamak, de modo a controlar as reações de fusão. O objetivo é demonstrar se a fusão poderá ser, ou não, comercialmente viável.

Em parceria com o site Saiba de Tudo

Veja também

+ Rolex de ouro bate recorde e é vendido por R$ 8 milhões

+ Samsung lança TV 8K de 292 polegadas, a maior TV do mundo

+ Cientistas localizam o centro do Sistema Solar — e advinhem, não é o Sol

+ Carol Nakamura compartilha projeto de sua mansão de R$ 2 milhões; veja

+ Maria Zilda relembra quando soube que Ary Fontoura era gay

+ Uma Harley-Davidson com 360 diamantes e peças banhados a ouro, a moto mais cara do mundo

+ Veja momento em que bola de fogo explode no céu de Tóquio

+ Dicas fáceis de como limpar panela queimada

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo


  • arrow