Estudo calcula o números de civilizações alienígenas na Via Láctea | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Estudo calcula o números de civilizações alienígenas na Via Láctea

Estudo calcula o números de civilizações alienígenas na Via Láctea
Estudo calcula o números de civilizações alienígenas na Via Láctea
Estudo calcula o números de civilizações alienígenas na Via Láctea. Foto: Pixabay

Um estudo recém-publicado estima que o período de tempo ideal para o desenvolvimento de civilizações alienígenas ocorreu cerca de 8 bilhões de anos depois que a Via Láctea foi formada, e que a maioria dessas civilizações provavelmente já estar morta.

+ Nova coleção de óculos inspirada em personagens Pokémon é lançada no Japão
+ Microsoft e PepsiCo se unem para fazer o Cheetos perfeito
+ Boeing testa decolagem de Super Hornet em pista com rampa

Pesquisadores do California Institute of Technology, do Jet Propulsion Laboratory da NASA e da Santiago High School usaram uma versão expandida da famosa Equação de Drake, que determinava as probabilidades de existência de inteligência extraterrestre em nossa galáxia.

O estudo analisou vários fatores que presumivelmente poderiam levar a um ambiente habitável, e determinou que vida inteligente pode ter surgido em nossa galáxia cerca de 8 bilhões de anos depois de ter sido formada. Algumas dessas civilizações poderiam estar a 13.000 anos-luz do centro galáctico, cerca de 12.000 anos-luz mais próximas do que a Terra, onde se acredita que os humanos surgiram 13,5 bilhões de anos após a formação da Via Láctea.

O estudo, que ainda não foi avaliado por pares, também considerou fatores que podem ter acabado com essas civilizações, como a exposição à radiação, a paralisação da evolução e a tendência da vida inteligente se auto-aniquilar, seja por meio das mudanças climáticas, avanços tecnológicos ou guerra. Isso sugere que qualquer civilização alienígena que ainda esteja viva é provavelmente jovem, já que a auto-aniquilação geralmente ocorre após um longo período.

“Embora nenhuma evidência sugira explicitamente que a vida inteligente acabará por se aniquilar, não podemos a priori excluir a possibilidade de autoaniquilação”, dizia o estudo. “Já em 1961, Hoerner (1961) sugere que o progresso da ciência e da tecnologia levará inevitavelmente à completa destruição 11 e degeneração biológica, semelhante à proposta de Sagan e Shklovskii (1966). Isso é ainda apoiado por muitos estudos anteriores argumentando que a auto-aniquilação de humanos é altamente possível por meio de vários cenários (por exemplo, Nick, 2002; Webb, 2011), incluindo, mas não se limitando a guerra, mudanças climáticas (Billings, 2018) e o desenvolvimento da biotecnologia (Sotos, 2019). ”

Veja também:

+ Descubra as maiores tendências de cozinha que estão bombando em 2021

+ Cozinha afetiva: dicas e inspirações para uma decoração que exalta as memórias

+ A “Moto do Ano 2021” na Alemanha

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Conheça o iate de luxo de Giorgio Armani: ele mesmo projetou e custa R$ 330 milhões

+ Cozinhas coloridas: veja dicas essenciais para apostar em projetos alegres, modernos e joviais

+ Previsões de Nostradamus para 2021: Asteróide e ‘fim de todo o mundo’

+ Bruna Lombardi posta foto nua aos 68 anos

+ Bruna Marquezine posa de biquíni no Copacabana Palace. Confira as fotos!

+ Os 3 signos mais sensitivos do zodíaco

+ Os ‘Sapatos de Satanás’ do rapper Lil Nas X conterão uma gota de sangue humano

+ O bico do seu p… é rosa? Juliana Caetano, responde a fã de maneira ousada






  • arrow