Conheça os aviões de caça a jato usados na América do Sul | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Conheça os aviões de caça a jato usados na América do Sul

Sukhoi Su-30

Quando o assunto são aviões de caça, os Lockheed Martin F-16 C/D da aviação militar do Chile e os Saab Gripen E/F da Força Aérea Brasileira estão entre as aeronaves mais avançadas da América do Sul.

+ Caça de quinta geração Su-57, supostamente sendo usado na guerra da Ucrânia
+ Veja os países da Otan que ainda utilizam o caça MIG-29
+ Força Aérea da Ucrânia ainda é dependente de aviões dos tempos da União Soviética

Mas nem todos os países do continente podem se dar ao luxo de ter meios de combate tão modernos. Confira a seguir a lista completa de caças a jato operados pelas forças aéreas da região.

Argentina

Lockheed Martin A-4AR Fightinghawk
Lockheed Martin A-4AR Fightinghawk

A Argentina já teve a aviação militar mais poderosa do continente. Foi a primeira com caças a jato (1947) e contou com uma força de bombardeiros pesados.

Mas hoje os aviões mais poderosos do arsenal argentino são os antigos Lockheed Martin A-4AR Fightinghawk. Atualização dos subsônicos A-4 Skyhawk, foram incorporados no final dos anos 1990 e já estão no fim da sua vida útil.

Bolívia

Hongdu K-8
Hongdu K-8

A Bolívia foi um dos últimos países do mundo a desativar os jatos T-33 Shooting Star, projetados nos anos 1940 e comprados usados do Canadá na década de 1970, foram usados até a década passada.

Desde 2011, a Bolívia usa jatos de treinamento subsônico Hongdu K-8, de fabricação chinesa, como aeronaves de combate equipada com um canhão de 23 mm e lançadores de foguetes.

Brasil

Força Aérea e Avibras firmam acordo para desenvolver mísseis
Saab Gripen E

O Northrop F-5 E/F é atualmente o principal caça supersônico do Brasil. Incorporado nos anos 1970, passou por um processo de atualização iniciado nos anos 2000 e agora é conhecido como EM e FM.

Já o Saab Gripen E/F está em processo de implantação na Força Aérea Brasileira.

Chile

F-16 C
F-16 C

Só levando em consideração os caças supersônicos, além dos F-16 C/D, comprados novos dos Estados Unidos, o Chile opera também exemplares dos F-16 A/B MLU (comprados usados dos Países Baixos).

Outra aeronave de caça usada no país é o Northrop F-5 E/F, que recebeu uma atualização nos anos 1990 e devem ser desativados nos próximos anos.

Colômbia

Kfir C12
Kfir C12

O único caça a jato supersônico da Colômbia é o israelense Kfir C12, um avião derivado do francês Dassault Mirage V produzido pela Israel Aircraft Industries.

Comprados usados de Israel nos anos 1980, as aeronaves estão em processo de desativação. Outro jato ainda em uso no país é o Cessna A-37, avião de treinamento e ataque ao solo empregados desde os anos 1970.

Equador

Atlas Cheetah

O arsenal do Equador conta com exemplares usados dos supersônicos sul-africanos Atlas Cheetah, criados na África do Sul nos anos 1980 a partir da atualização de unidades do francês Dassault Mirage III.

As aeronaves foram compradas em 2010, com os primeiros caças chegando ao país em 2011.

Paraguai

A Força Aérea do Paraguai não opera caças a jato supersônicos ou subsônicos. A única aeronave de combate do país é o turboélice brasileiro Embraer Tucano.

Peru

MIG-29
MIG-29

Só levando em consideração os caças que voam acima da velocidade do som, a Força Aérea do Peru opera o francês Dassault Mirage 2000P, comprado novo pelo país nos anos 1980, e também o russo MIG-29.

Com uma tradição de uso de aviões soviéticos, o Peru comprou os seus exemplares do supersônico em 1997, vindos da Bielorrússia.

Uruguai

Cessna A-37 Dragonfly
Cessna A-37 Dragonfly

Sem caças supersônicos, o Uruguai tem como único avião de combate a jato o Cessna A-37 Dragonfly.

Projetado nos Estados Unidos nos anos 1960, é usado pelo país vizinho desde a década de 1970.

Venezuela

Sukhoi Su-30
Sukhoi Su-30

A Força Aérea Bolivariana é um reflexo das mudanças políticas do país nas últimas décadas. Além dos veteranos CF-5 A/B, comprados usados do Canadá nos anos 1970, o país tem unidades do Lockheed Martin F-16 A/B, comprados novos na década de 1980.

Mas o destaque do arsenal venezuelano é o russo Sukhoi Su-30, que foi comprado pelo país em 2006 e está entre os caças mais poderosos do continente.




  • arrow