Comércio eletrônico de SP deverá faturar 32% a mais em 2020 | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Comércio eletrônico de SP deverá faturar 32% a mais em 2020

Black Friday: veja as dicas para não ser enganado
Black Friday: veja as dicas para não ser enganado
Empresa de segurança identifica mais de três mil ameaças antes do lançamento do Cyberpunk 2077

O setor do comércio eletrônico do estado de São Paulo deverá fechar o ano com faturamento de R$ 29,2 bilhões, montante 32% superior ao registrado em 2019. A previsão, divulgada hoje (9), é da da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

+Empresa de segurança identifica mais de três mil ameaças antes do lançamento do Cyberpunk 2077
+Google Play Pass é lançado no Brasil com mensalidade de R$ 9,90
+Confira dicas sobre a escolha do curso nas Etecs e Fatecs para 2021

De acordo com a entidade, a curva ascendente deverá continuar em 2021. “Com mais consumidores se adaptando às compras online e em meio às incertezas diante de uma segunda onda da pandemia, o comércio eletrônico deve crescer 6% no próximo ano, atingindo a cifra de R$ 31,1 bilhões”, destacou a FecomercioSP em nota.

Segundo a entidade, os resultados expressivos do comércio eletrônico em 2020 estão relacionados principalmente à demanda de produtos duráveis, como os da linha branca e os computadores, que deverão fechar o ano com crescimento de 39%. “Isso se explica pela necessidade de muitos lares na adaptação à rotina da quarentena, o que incluiu a compra de dispositivos eletrônicos e móveis”.

A alta na compra de itens semiduráveis, como roupas e calçados, também é significativa: deverá encerrar o ano com alta de 25%.

O setor do comércio eletrônico do estado de São Paulo deverá fechar o ano com faturamento de R$ 29,2 bilhões, montante 32% superior ao registrado em 2019. A previsão, divulgada hoje (9), é da da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

De acordo com a entidade, a curva ascendente deverá continuar em 2021. “Com mais consumidores se adaptando às compras online e em meio às incertezas diante de uma segunda onda da pandemia, o comércio eletrônico deve crescer 6% no próximo ano, atingindo a cifra de R$ 31,1 bilhões”, destacou a FecomercioSP em nota.

Segundo a entidade, os resultados expressivos do comércio eletrônico em 2020 estão relacionados principalmente à demanda de produtos duráveis, como os da linha branca e os computadores, que deverão fechar o ano com crescimento de 39%. “Isso se explica pela necessidade de muitos lares na adaptação à rotina da quarentena, o que incluiu a compra de dispositivos eletrônicos e móveis”.

A alta na compra de itens semiduráveis, como roupas e calçados, também é significativa: deverá encerrar o ano com alta de 25%.

Da Agência Brasil




  • arrow