Apple libera aplicativos de delivery de maconha; entenda | TechBreak - Tudo sobre Tecnologia

Apple libera aplicativos de delivery de maconha; entenda

Liberação de plantio de maconha medicinal tem parcer favorável na Câmara
Liberação de plantio de maconha medicinal tem parcer favorável na Câmara
Apple libera aplicativos de delivery de maconha; entenda

A Apple decidiu mudar as suas políticas e já permite a publicação na App Store nos Estados Unidos de aplicativos voltados para a comercialização de maconha.

+ TikTok ultrapassa Facebook como aplicativo mais baixado de 2020
+ Twitter muda fonte e atualiza aparência da rede social
+ WhatsApp agora permite transferência de conversas entre Android e iOS

A política da loja de aplicativos da Apple foi atualizada em 7 de junho para permitir que farmácias licenciadas e lojas autorizadas pudessem oferecer seus serviços. Pouco mais de um mês depois, foi autorizado o primeiro app, o Eaze, que já conta com 2 milhões de usuários registrados apenas no estado da Califórnia.

Desde então, a loja da Apple integrou outras empresas de delivery de cannabis: Beta, Caliva, Pineapple Express e, mais recentemente, o Weedmaps, que permite a localização de lojas que vendem maconha legal mais próximas do usuário e agora adotou o serviço de entrega.

Mas há restrições. Por exemplo, os aplicativos de delivery só podem ser baixados nos estados em que a venda da erva é permitida. O recurso de geolocalização impede o acesso à droga nos estados que proíbem seu consumo. Enquanto isso, o Google ainda proíbe que aplicativos de delivery de maconha ingressem na Google Play Store.




  • arrow