Troca de tela: pesquisadores testam ataque e “sequestram” celular com chip oculto

Quem nunca quebrou a tela do celular e a trocou rapidinho em qualquer loja? O hábito é comum, mas pode oferecer alguns riscos, de acordo com estudo publicado na Ars Technica e realizado pela Ben-Gurion University, em Israel. Os pesquisadores queriam provar a vulnerabilidade dos aparelhos apenas com uma simples troca de tela. Resultado: eles conseguiram “sequestrar” os dois celulares.

Curta nossa página no Facebook

O teste foi feito em dois aparelhos com o sistema Android: Huawei Nexus 6P e LG G Pad 7.0. Na hora de efetuar a troca de tela, algo bem comum hoje em dia, eles simplesmente acrescentaram um chip malicioso praticamente imperceptível no aparelho.

Por meio desta hackeada, eles conseguiram “sequestrar” o aparelho e explorar todas as vulnerabilidades dele com acesso às fotos e informações em aplicativos. “Nosso ataque trocou o controle de toque pelo componente malicioso, mas o resto de hardware e software é completamente autêntico”, afirmou um dos pesquisadores na publicação.

(foto: Reprodução)

De acordo com o artigo, o intuito da pesquisa é mostrar este tipo de prática pode ser colocado em ação em grande escala de forma muito rápida e eficaz. “Os designer de aparelhos deveriam considera trocar a posição de alguns sistemas confiáveis do celular para redesenhar suas defesas de forma adequada”, concluiu.

O texto conclui que mais da metade dos usuários de smartphones já sofreu com uma tela quebrada e recorreu para uma troca imediata. No iPhone, de acordo com o artigo, há módulos mais seguros que impedem o acesso às áreas que pedem maior segurança, como o Touch ID.

Leia mais:
Motorola registra patente de tela de celular que conserta trincos sozinha
Uso de um certo emoji pode ter efeito negativo no trabalho; saiba qual é
+ Game of Thrones: série faz HBO quebrar recorde de lucro em app

arrow