Furacão Irma: Guarda Nacional dos EUA usa drones para monitorar áreas atingidas

Depois de passar por 10 países e deixar 28 mortos, furacão começa a perder força

A Guarda Nacional dos Estados Unidos está contando com a ajuda de alta tecnologia militar para poder medir os danos da passagem do Furacão Irma pela Flórida e também auxiliar nos resgates de pessoas em perigo. O tenente general Scott Rice, diretor da instituição, falou ao site Military.com sobre a operação com drones realizada na área.

Leia mais:
Avião militar: EUA começam a desenhar sua próxima geração de caças
Caça dos EUA decola de porta-aviões com “catapulta eletromagnética”; assista
Caminhão blindado: empresa russa cria veículo anti-tumulto com parede metálica

“Tirar uma foto ou poder olhar rapidamente para algo que acabou de acontecer é muito importante”, disse. Os modelos usados são o MQ-1 Predator, MQ-9 Reaper e o RC-26.

“Temos recursos para resgatar todos ao longo do tempo, mas não temos como resgatar todos ao mesmo tempo”, explicou, enfatizando a importância dos drones para definir áreas mais críticas. Rice afirmou que os drones estão registrando as regiões e tirando fotos para informar as equipes de resgate em terra.

O drone MQ-1 Predator. (foto: Força Aérea dos Estados Unidos/Divulgação)

Esta operação da Guarda Nacional é muito parecida com o que houve durante a passagem do Furacão Harvey, que também atingiu os Estados Unidos – principalmente Texas e Louisiana – no mês passado.

Presença maior

Rice afirmou que a Guarda Nacional está baseada no centro de operações em Tallahassee enquanto o Irma se move. O tenente general também disse que havia mais equipes de resgate e busca aguardando a passagem do furacão para agir em toda a península da Flórida.

“Toda vez que temos um fenômeno como este aprendemos algo novo. Nossa presença será maior neste caso. Queremos o equilíbrio enter ter uma estrutura boa e gastarmos a quantidade certa de dinheiro e estar no lugar certo na hora certa”, finalizou.
Curta nossa página no Facebook

arrow